Como a Lei Geral de Proteção de Dados afetará suas Landing Pages?

Conquistar e fidelizar leads, aumentar as taxas de conversão e potencializar vendas. Como conseguir tudo isso (e ainda mais)? A resposta vem com nome e sobrenome: Landing Pages

Página de aterrissagem é a tradução literal para Landing Page mas, em Marketing Digital, elas significam muito mais do que isso, são as páginas criadas com o objetivo único de converter.

Enquanto cada uma das páginas do site contribui para formar a visão geral do negócio, tendo vinculação com um menu superior (que leva a outras páginas como institucional, notícias e contato, por exemplo), as Landing Pages são formatadas para elevar o visitante ao patamar de lead, ou seja, transformá-lo em cliente potencial. 

Para evitar distrações e garantir a conversão desejada, as Landing Pages devem conter poucos elementos e ter foco em apenas uma Call to Action (CTA) principal. A elaboração dessas páginas requer estratégia, afinal, quem quer perder o futuro lead por ter exagerado na quantidade de perguntas?

É justamente sobre o que perguntar nos formulários das Landing Pages de conversão que vamos falar nesse post. E você já vai entender o que isso tem a ver com a Lei Geral de Proteção de Dados!

Por que preciso de Landing Pages?

Quantas Landing Pages existem em seu site? Se a resposta for nenhuma, você pode até estar atraindo um número considerável de visitas para seu site/blog por ter um conteúdo interessante. 

Mas para além de dados genéricos como país, páginas mais acessadas, dispositivos utilizados para acesso, duração da sessão e forma como os usuários chegam à página, você não faz nem ideia da informação mais importante: o estágio da jornada de cada um desses visitantes no funil de vendas.

Com dados genéricos você tem apenas um elementos para formar o seu público-alvo, mas não está trabalhando com personas. 

Agora pensa com a gente: tem como conversar com números? É claro que eles são importantes, mas ter o e-mail do visitante e saber quais foram os conteúdos que ele já baixou no site com certeza são informações que importam muito mais se o seu objetivo é preparar o público para oferecer a coisa certa, na hora certa.

Benefícios das Landing Pages

De forma resumida, os principais benefícios das Landing Pages são:

  • Facilitar o Lead Scoring – é o índice que mede a pontuação dos clientes em potencial, conforme evoluem no funil de vendas. Com esta pontuação é possível passar a informação dos leads qualificados para a equipe de vendas.
  • Segmentação dos contatos – sabendo quais conteúdos já foram baixados e quais são os interesses da persona, você conseguirá ser cada vez mais eficiente na entrega de materiais que façam sentido para seus clientes em potencial.
  • Diminuir o Custo de Aquisição de Clientes (CAC) – é com Inbound Marketing (para se aprofundar no tema, baixe nosso ebook) que uma mágica interessante acontece: são os clientes que chegam até você, já com uma resposta para a sua marca ser a melhor opção para resolver determinado problema/dor. Mas para essa mágica acontecer você precisa guiar seus Leads e fará isso justamente com as Landing Pages!

Landing Pages e a Lei Geral de Proteção de Dados

São especialmente às perguntas das Landing Pages que conversam de perto com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), prevista para entrar em vigor em agosto deste ano.

Com a Lei 13.709/2018, que será implantada para regulamentar o uso de dados pessoais, o usuário deverá ser informado com clareza sobre a finalidade da coleta dos seus dados

Na prática, isso significa que se você pediu nome e o e-mail para enviar a CALCULADORA DE ORÇAMENTO DE MARKETING DIGITAL (aliás, aproveite para baixar esse material no nosso blog!) não poderá aproveitar que o usuário se cadastrou para encaminhar outros materiais. A menos que o lead concorde com isso (por escrito, e essa também é uma determinação da Lei!).

Banner calculadora de orçamento

Além de conceder permissão, o visitante terá direito de solicitar que suas informações pessoais sejam removidas. 

Se você está se perguntando se este seria o fim das Landing Pages, nossa resposta é não. Será, na verdade, o início da construção de uma base de dados com leads mais qualificados.

Somente informações necessárias

Você realmente precisa saber quantos funcionários têm a empresa onde o lead trabalha? Se dados profissionais forem relevantes, peça apenas o cargo e o site da empresa. 

Com essa resposta, você mesmo poderá navegar pelo site para descobrir a área de atuação e o tamanho da empresa (se esses dados forem importantes para a sua estratégia).

Ações estratégicas

Com a LGPD o que muda é que será necessária uma estratégia para cada uma de suas ações. 

Primeiro você pensa sobre o que realmente precisa perguntar e não mais pergunta uma dezena de coisas porque acha que essas informações poderão ser importantes depois.

Nesse processo, os desdobramentos são positivos: o usuário não ficará desconfiado por conta da quantidade de perguntas e nem desanimado com o tempo que as respostas lhe tomarão. 

Aliás, rolar a barra de rolagem pode fazer com que o visitante desista de baixar o Ebook.

Informação mais importante

A pergunta de um milhão de dólares das Landing Pages continua sendo o e-mail do visitante. É com esse dado que você começará a guiá-lo pelo funil de vendas. 

Segmente seus leads por áreas de interesse e vá incrementando as perguntas, para compreender as dores das suas personas. Em materiais mais específicos, você poderá dar alternativas que possam responder a algumas de suas hipóteses sobre quais são essas dores.

Por fim, não esqueça das questões que não impactam diretamente na Lei Geral de Proteção de Dados, mas que auxiliam no processo de conversão dos Leads através das Landing Pages:

  • Título
  • Imagem
  • Cores
  • CTA

Se quiser entender sobre como esses elementos funcionam na prática, não deixe de ler o Ebook Landing Pages na Prática, fruto de uma parceria que fizemos com a Resultados Digitais.

Banner-Ebook-Landing-Pages-na-prática-01 Baixa

 

Voltar